Baixe aqui a Cronologia da Reforma Anabatista

Cronologia da Reforma Anabatista

  • 1521
    Baltazar Hubmaier vai para Waldshut e torna-se amigo de Zuínglio.
  • 1522
    Primeira geração de anabatistas começa a estudar a Bíblia. Os principais são: Conrado Grebel, Felix Mantz, Jorge Blaurock, Simão Stumpf, Guilherme Reublin e João Brotli. Stumpf e Reublin questionam o pagamento de dízimos.
  • 1523
    Hubmaier introduz cultos em alemão em Waldshut e contrai matrimônio. Na Segunda Disputa de Zurique, os seguidores radicais rompem com Zuínglio.
  • 1524
    Mantz leva para Zurique folhetos de Karlstadt sobre o batismo infantil e a Ceia do Senhor. Os Irmãos Suíços escrevem a Muntzer, Karlstadt e Lutero. Reublin e Brotli recusam-se a batizar crianças. Ocorrem choques com Zuínglio e as autoridades e as primeiras punições.
  • 1525
    Em 17 de janeiro, realiza-se a primeira disputa em Zurique com os opositores do batismo infantil. Surgem os “Irmãos Suíços.” No dia 21, ocorre o primeiro batismo de adultos em Zurique. Nos dias seguintes, a primeira igreja anabatista, com 35 conversos, é fundada em Zollikon. Em fevereiro, ocorre a primeira prisão de anabatistas em Zurique, mas conseguem fugir. Na Páscoa, Hubmaier estabelece o anabatismo como a “fé estatal.” Em maio, Bolt Eberle é executado no cantão de Schwyz, tornando-se o primeiro mártir protestante e anabatista. Em novembro, a terceira disputa batismal de Zurique é realizada na catedral para comportar a multidão.
  • 1526
    Grebel morre em uma epidemia.
  • 1527
    A união Fraternal de Schleitheim aprova Confissão de Fé redigida por Miguel Sattler. Sattler e sua esposa são mortos em Rotemburgo, ele na fogueira e ela por afogamento. Mantz é afogado em Zurique; Hans Denck morre vitimado pela peste em Basiléia; Hans Hut morre na prisão em Augsburgo.
  • 1528
    Hubmaier é queimado em Viena.
  • 1529
    Os anabatistas do Tirol fogem para a Morávia. Hoffman encontra anabatistas em Estrasburgo. Blaurock é queimado no Tirol.
  • 1530
    Hoffman batiza 300 anabatistas em Emden e envia pregadores leigos para a Holanda.
  • 1531
    Bullinger sucede Zuínglio e publica o primeiro livro contra os anabatistas.
  • 1533
    Jacó Hutter une-se ao grupo de morávios que tornam-se conhecidos como huteritas. O padeiro Jan Matthijs reivindica a liderança anabatista em Amsterdã e envia 12 discípulos aos pares. Hoffman vai para a prisão em Estrasburgo, onde aguarda a segunda vinda.
  • 1534
    Jan van Leiden é coroado rei em Münster. Matthijs muda-se para Münster; os anabatistas vencem uma eleição local e tentam implantar o reino de Deus à força.
  • 1535
    Cerco e queda de Münster; início das perseguições. No ano seguinte, Jan van Leiden é executado; seus restos, colocados numa gaiola na torre da igreja, servem de advertência até o século 20.
  • 1536
    Menno Simons rompe com Roma e torna-se o líder anabatista da Holanda. Em 1539-40, publica o Fundamento da Doutrina Cristã, obra básica da fé anabatista. Hutter é torturado e morto na fogueira.
  • 1538
    Filipe de Hesse promove um debate entre anabatistas e Bucer; em consequência, os anabatistas de Hesse retornam à igreja estatal e esta decide excomungar os cristãos imorais.
  • 1540
    Kaspar von Ossig Schwenkfeld (1489-1561) publica a sua Grande Confissão e é condenado pelos luteranos em uma convenção de teológos liderada por Melanchton. Perseguidos em várias partes da Europa, seus seguidores foram para a Pensilvânia no século 18.
  • 1541
    Peter Riedemann escreve a Confissão de Fé Huterita.