Baixe aqui Os reformadores e a educação

Os Reformadores e a Educação

  

Martinho Lutero
O reformador alemão Martinho Lutero (1483-1546) foi um grande incentivador da educação. Sua tradução da Bíblia para a língua alemã e seu desejo de que a Escritura fosse amplamente conhecida, o levaram a valorizar o estudo de crianças e adultos. Além do seu Breve Catecismo (1529), que foi amplamente utilizado para o ensino religioso, são conhecidos dois importantes escritos seus nessa área: um apelo às autoridades de todas as cidades da Alemanha para que criassem e mantivessem escolas cristãos e um sermão incentivando os pais a manterem seus filhos na escola.

 

Ulrico Zuínglio
Zuínglio (1484-1531), o fundador da reforma suíça ou tradição reformada recebeu uma sólida educação humanista, tendo se destacado como grande conhecedor dos autores clássicos e dos idiomas latino, grego e hebraico. Em 1525, junto com alguns colegas, fundou em Zurique o Prophezei, um centro de erudição destinado ao cultivo das línguas bíblicas originais e ao estudo da Bíblia, aplicando os princípios humanistas de filologia e teoria literária clássica. Essa organização, que existiu por muitos anos, constituiu-se num modelo inicial de educação evangélica.

 

João Calvino
O reformador francês João Calvino (1509-1564) foi um dos homens mais cultos do seu tempo, tendo estudado em várias universidades do seu país. Em Genebra, na Suíça, onde realizou a sua obra como reformador, deu grande ênfase à educação. Propôs para a igreja um ofício específico voltado para essa área (mestres ou doutores), ao lado dos pastores, presbíteros e diáconos. No final da sua carreira, fundou a Academia de Genebra (1559), uma escola de vários níveis para crianças, jovens e adultos, embrião da atual Universidade de Genebra.

 

João Knox
Apesar de sua origem humilde, o reformador escocês John Knox (1514-1572) teve boas oportunidades educacionais, tendo cursado a Universidade de Saint Andrews. Estudou teologia e direito e, no início da carreira, foi professor particular de meninos da pequena nobreza. No Primeiro Livro de Disciplina (1560), importante documento fundante da Igreja da Escócia, ele defendeu a educação para todas as crianças e a criação de universidades.

 

Teodoro Beza
Sucessor de Calvino em Genebra, Teodoro Beza (1519-1605) foi um destacado erudito influenciado pelo humanismo renascentista. Lecionou grego em Lausanne e Genebra e publicou diversas edições do Novo Testamento em latim e grego, revelando grande interesse por questões textuais bíblicas. Por muitos anos, foi reitor e professor de teologia na Academia de Genebra, fundada por Calvino. Foi um importante porta-voz e defensor da tradição reformada.